Você Está Disposto A Fazer O Que É Preciso Para Ser Feliz?

Muitos de nós chegamos à idade adulta, vindos de uma boa infância. Bons amigos, bons pais, bons vizinhos, boas experiências de vida. Mas, à medida que vamos tomando a vida em nossas mãos, assumindo as responsabilidades das decisões que vamos fazendo, confrontamo-nos (por vezes) de uma dura realidade, a dificuldade de nos sentirmos bem. O que acontece para que este sentimento incapacitante se instale? Cada um de nós pode ter a sua história, as suas justificativas e até legitimidade. No entanto, existe algo comum a todos nós que importa conseguir responder se quisermos certificar-nos que queremos mudar para melhor.

O que estou disposto a fazer para ir ao encontro dos sentimentos que quero sentir?

Tudo passa por você?

Você sente que a sua vida não está caminhando no sentido que pretende? Sente-se desiludido? Sente-se miserável? Se sim, organize-se de forma a conseguir responder à primeira questão. Tudo passa por você. Tudo passa por você perceber que se até agora não chegou onde pretendia, pode experimentar fazer de forma diferente. Se continuar a lamentar-se, a dizer que não pode porque não têm meios, porque não tem dinheiro, porque não tem capacidade, porque tudo corre mal, porque isto e aquilo, certamente tudo continuará na mesma. Você continuará a sentir-se insatisfeito, infeliz, miserável e incapaz.

Quero dizer-lhe que você não é os seus sentimentos, lamentações e até mesmo as experiências que viveu. Você é aquele que se quiser pode fazer algo para mudar a sua vida para melhor. Mas para que isso aconteça, tem de quebrar o seu padrão de negatividade. Tem de aprender a ter uma atitude positiva e programar novas formas de encarar os seus velhos problemas. Tem de esforçar-se por programar a mentalidade virada para a solução. felicidade

Não está convencido ainda não é? Tem mil e muitas justificações para contestar o que acaba de ler. Talvez, neste momento lhe passe na cabeça a frase:

“Para quem está atrás de um computador escrevendo estas palavras é fácil falar.”

E, na verdade é isso mesmo, falar é mais fácil. A parte difícil, de compromisso e dedicação compete-lhe a si mesmo. Compete-lhe investir na sua própria pessoa. Pegar a sua vida em suas mãos e perceber que quanto mais fizer, mais retorno pode vir a ter.

“Você é o principal acionista da sua própria vida.”

Ao longo da vida, tenho vindo a constatar através das centenas de perguntas e pedidos de auxilio que me enviam para o email, ou que deixam nos comentários dos artigos, que muitas pessoas nada fazem para melhorar o estado em que se encontram. Usualmente pretendem melhorias, dicas, estratégias que sejam rápidas, que faça efeito com pouco esforço e que dependam o mínimo da própria pessoa. Isto é exatamente o tipo de pensamento que promoveu o estado em que grande maioria das pessoas se encontra, e que com elevada probabilidade as manterá na mesma situação. Apesar de existir informação, meios, terapias, grupos de suporte e um conjunto de atividades que promovem a recuperação, como estratégias para a mudança de hábitos, implementação de pensamentos positivos, reestruturação de pensamento, mudança de crenças, entre outros, passivamente a pessoa nada faz para procurar uma solução viável, séria e eficaz.

Voltamos à questão: Está disposto a fazer o que é preciso para sentir-se feliz?

FELICIDADE felicidade-1

Procure orientação, faça algo por si mesmo.

É preciso investimento da sua parte. É necessário querer aprender, querer mudar e acima de tudo querer perceber como deve fazer para chegar onde pretende. Esse é um caminho que tem de ser percorrido por você mesmo. Nada no mundo lhe trará de bandeja aquilo que tanto pretende. O melhor da vida, os melhores sentimentos de bem-estar, satisfação e realização são oriundos das nossas realizações.

A minha mensagem para você é: Se quer continuar a sofrer, a se lamentar, a se fazer de vitima, e a denegrir-se, continue fazendo isso, aceitando isso sem reclamar. Mas, se você quer melhorar a sua vida, ser feliz e sentir-se auto-realizado, faça por isso também sem reclamar.

Provavelmente você não tem idéia do que fazer para chegar onde pretende. A sua forma de pensar necessita de ser revista. As abordagens que tem usado necessitam de ser alteradas. E para isso é necessário ajuda. Sim, ajuda. E procurar ajuda pode ser considerado um ato de inteligência, ao invés de lhe parecer um ato desesperado, inseguro e de ataque ao ego. Você precisa de orientações, abrir a sua mente, contestar as suas crenças, as suas atitudes. Procure conhecimento e sabedoria junto de terapeutas, psicólogos, conselheiros, técnicos espirituais, livros, vídeos, amigos, seminários, familiares, e qualquer coisa ou qualquer pessoa que possa contribuir para o seu enriquecimento pessoal. felicidade2

Procure esclarecimento, conhecimento, formas diferentes de olhar o mundo para que dentro de si construa a sua felicidade. Para que saiba o que fazer o que quer, o que lhe dá prazer e satisfação e alinhar-se com isso na procura de significado para si mesmo. A felicidade é sobre retirar prazer, alegria, satisfação e significado de grande parte das coisas que você realiza.

A auto aceitação é a chave para a ação.  filosofia-felicidade

A auto-aceitação é sem dúvida nenhuma um passo importante para conseguir alinhar-se com o seu estado negativo que possa estar passando. Reconhecer o que não deu certo, o que precisa ser mudado e o que é necessário fazer, são tudo formas de auto-aceitação ativa. A auto-aceitação não tem a ver apenas com a aceitação dos fatos e dos acontecimentos, mas também reconhecer e assumir erros, fracassos e incapacidades sem sentir-se a pior pessoa por isso. A auto-aceitação é aceitar o que precisa ser mudado para melhor sem ressentimentos, mágoas ou rancor. Auto-aceitação é comprometer-se com aquilo que você sabe que é necessário ser feito. Mas aqui está o ponto crítico de toda a melhoria, é que este é um processo inicialmente difícil e a maioria das pessoas não vai fazer o trabalho necessário para obter resultados duradouros.

Comprar uma TV nova, sair de férias e temporariamente fingir que tudo está bem, mudar de casa esperando que o novo espaço mude a sua mentalidade é mais fácil do que procurar ajuda e fazer um exame de auto descoberta e de consciência realista. É preciso deixar de acionar os padrões auto sabotadores, é necessário deixar de passivamente fazer as mesmas asneiras na sua vida.

Talvez, ao longo do tempo e de insucesso em insucesso você tenha construído uma idéia negativa acerca daquilo que tem feito, levando-o a pensar que é indigno de um dia ser feliz. Anos de arrependimento, um futuro cheio de medo, tudo criado por erros de raciocínio, levando a sua mente a justificar com uma lógica fria o seu estado atual. É primordial que você se esforce para perceber que é possível trabalhar em si mesmo, capacitando-se para vir a alcançar o que deseja.

É preciso muita ação e trabalho duro da sua parte. Pela minha experiência, a maioria do trabalho duro é realizado nos primeiros meses, nas primeiras tentativas. Mas, depois de ganhar autodisciplina, de ganhar movimento positivo, tudo o que é necessário é uma pequena manutenção. É muito mais fácil manter-se saudável do que é ficar saudável.

Faça uma auto-análise

Pense profundamente sobre o que o tem mantido preso durante todo este tempo. O que tem feito ou não tem feito que lhe impossibilite chegar onde pretende. Será o medo da mudança? Será a esperança que aconteça algo melhor? Este conceito da esperança até pode parecer ridículo, mas muitas vezes, a esperança de algo melhor é o suficiente para nos manter nos mesmos padrões de comportamento inadequado, dado que o medo instalado não permite que você tente conseguir aquilo que deseja alcançar. Então fica na esperança de não ter de sair da sua zona de conforto. Fica à espera que um milagre aconteça.

SER FELIZ  happy

O que você deseja melhorar? O que você deseja alcançar? O que você quer ser? O que pretende abandonar? Pondere sobre estas questões. A auto-análise pode abranger todos os tipos de coisas, hábitos de vida pouco saudáveis​​, arrependimentos, medos, tudo o que o aborrece, o que gostava de tirar da sua consciência, o que o impede de ser bem sucedido nas áreas de vida afetadas. Tente trazer à sua consciência tudo aquilo que possa andar a perturbá-lo. Depois de conseguir especificar algumas destas coisas, faça uma nova questão:

O que estou disposto a fazer para alcançar o que pretendo?

Você acredita realmente que vale a pena esforçar-se? Que pode fazer algo sobre a sua vida? Se sim, deve orar, deve buscar orientação para fazer as coisas direito, deve procurar terapia, a ajuda de um amigo ou familiar? Tente perceber naquilo que deve trabalhar para seguir em frente. Utilize todos os recursos ao seu alcance para estabelecer um processo de mudança de vida positiva.

A dura verdade é que a felicidade é possível, mas é opcional. Se você não está feliz, muito provavelmente você é o problema. Sei que esta realidade pode ser difícil de admitir. Mas considere isto, é também a coisa mais poderosa que você pode aceitar. E, lembre-se, aceitar algo não significa que você tem que gostar. Porque assim como você pode ser o problema, você pode ser a solução.

Perceber esta realidade é capacitador, porque uma vez que se aceite o problema e perceba que na grande maioria das vezes nós somos responsáveis, podemos começar a concentrar-nos na solução. E sim, há circunstâncias na vida que batem forte e pode parecer injusto às vezes. Mas existem pessoas a superar obstáculos incríveis, assim como conseguem superar o passado, independentemente de quão trágico foi. Se muitos conseguem, você também pode conseguir e tornar-se triunfante.

Dica: Foque a sua atenção mais na solução do que no problema.

Se você procurar uma verdadeira mudança positiva, paz interior e felicidade, você pode encontrar. Mas você deve estar disposto a aceitar a sua condição, e fazer algo no sentido de ir ao encontro dos resultados que pretende.

Faça algo por si de uma vez por todas!

Ao longo do artigo fui referindo que é possível mudar a vida para melhor. Que é possível ultrapassar alguns dos seus problemas pessoais, e problemas psicológicos que possa estar a enfrentar. Talvez se debata como medo do fracasso, com a ansiedade ou depressão. Eventualmente a preocupação excessiva toma grande parte do seu tempo, consumindo-lhe recursos que podia estar a utilizar na procura de uma solução. Esta é exatamente a mensagem principal que lhe quero transmitir:

Procure uma solução para o problema que possa estar enfrentando e que recorrentemente tem paralisado a sua vida.

 

Abraço

Miguel Lucas

 

 

[quote][/quote]QUERER VIVER OU QUERER SE CURAR?

cura

 

Na maioria dos casos, a primeira reação ao diagnóstico de uma doença séria é: “eu quero viver”. Para a grande maioria, é incompreensível que alguém possa fazer uma escolha diferente. E, todavia, muitas pessoas têm pouca compreensão do vasto oceano de poder interno que separa a vontade de viver da vontade de se curar. A vontade de viver é uma reação à doença que tem origem na personalidade. É uma reação baseada no medo, capaz de produzir uma alma artificial e sentimentos passageiros de coragem. A afirmação “eu quero viver” é simplesmente uma outra forma de dizer “eu não quero morrer”, mas há um poder pouco autêntico presente na vontade de viver.
Querer se curar requer mais do que o desejo de não morrer. A vontade de se curar é um compromisso muito mais profundo com o processo de cura. Ele mostra a capacidade de entrar na jornada de completa transformação de si mesmo, sem concessões ou limitações.

boaA vontade de se curar é a capacidade de viver preparado para mudança e/ou para o desapego de tudo aquilo que não está contribuindo para o seu bem-estar interior. Nessa jornada de transformação não se pode ter nenhum tipo de comprometimento. Não é suficiente, por exemplo, liberar apenas parte da negatividade ou perdoar alguém apenas parcialmente. E não é suficiente a pessoa admitir que sabe o que precisa fazer e não agir para mudar. A doença floresce no adiamento e nas desculpas. A resposta mental para a cura – quando o indivíduo sabe o que tem que fazer, mas não toma nenhuma providência com relação a isso – é a vontade de viver em ação; em outras palavras, é apenas falar sobre o caminho para a cura, sem, no entanto fazer alguma coisa a respeito.

curiCurar requer transformação. E, por essa razão, dever-se-ia reconhecer que a cura é uma questão de coragem. Ela requer uma tremenda força interior para mudar padrões familiares de pensamento e de vida, especialmente quando se está fisicamente fraco. Ainda assim, aqueles que estão enfrentando uma doença devem compreender que a vontade de viver – referindo-se ao desejo de não morrer – não resulta e nem pode resultar em saúde. Curar-se é um caminho de açãodestaque
Por Cristina Gurjão/ Universo Pararelo